Cante sem chorar!

10.10.09

Mentes


Já não me importo quando mentes para mim, pois não preciso das tuas palavras para saber verdades acerca de ti. Já não sou eu quem te conhece; é minha alma que conhece a tua e alma não tem como esconder algo de outra alma, principalmente quando caminham juntas por tanto tempo.
Amo-te pelo que és e não pelo que me contas sobre ti. Este é o verdadeiro amor e não aquele que sentem as que te amam pelo que pensam que tu és. Elas nada sabem de ti, apenas confiam em tuas palavras ( e isto, ainda não considerastes...).
Não, não mais me importo com tuas mentiras. Apenas, ainda me incomoda um pouco, pensar que podes acreditar que acredito nelas...

9 comentários:

Jou Jou Balangandã disse...

Lindo texto. Mas deixar de importar com mentiras ... não sei chego a esse estágio. Não é nem a mentira em sim, mas a falta de respeito que ela implica.

ótimo feriado!

Humana disse...

"Amo-te pelo que és"...
Devia ser sempre assim. Seriam bem menores as decepções. Amar a pessoa tal qual ela é e não o que idealizamos que possa ser um dia, que possa mudar, porque isso é um erro crasso. Falo por experiência própria.
Gostei muito! Beijinhos

O que elas estao lendo!? disse...

O dia de hoje é muito importante na vida das nossas criancas. Por isso mesmo temos algo bem especial. Passe por lá.

Abracos

Chris... ჱܓ disse...

Nunca deixe morrer a criança que existe dentro de você!
Ela te dá esperança e te faz sonhar!
Feliz dia da Criança!
Bjos mil..

Meu novo Blog: http://simplesmente-chris.blogspot.com/
Te quero por lá!

Marisa disse...

Oi,querida
Que texto lindo!
Adorei o "ainda me incomoda um pouco, pensar que podes acreditar que acredito nelas"
Mentiras sempre me incomodam...

Tá sumidinha!!

Bjus

Miss May disse...

Oi,Pris

Muito bonito!Mas,eu não aceito mais "mentiras sinceras".Creio que foi por ter aceitado tanto que me ferrei!
Hoje ´"É ou NÃO É" !
Mas,o texto é lindo!

Beijos

R.Vinicius disse...

Tuas palavras que me chegam como versos, de inteiro calor e beleza, é a mais pura poesia. “amo-te” com o amor “e do amor” e a ele inteiramente, nem longo, nem breve; e há tantas formas de amar, que é um erro grosseiro ver em toda forma um deslumbre. Saudade.

Tatiana disse...

Suas palavras são tão sentidas que chegaram a doer em mim...

Um beijo carinhoso para você!

Evandro Varella disse...

Oi Boneca,
Uma bela poesia em forma de prosa.
Não sabia desse lado teu...
Experimente arrisque... aqui é teu espaço e lugar ideal prá isso.
Beijão
PS: Já estou aguardando a próxima.